Teolândia, na Bahia, contratou show de Gusttavo Lima por R$ 704 mil

0 47

Total gasto apenas de cachê para artistas da festa chega a R$ 1,2 milhão

O município baiano de Teolândia, no sul do estado, vai gastar R$ 1,2 milhão para bancar uma festa com artistas após ter sofrido com as chuvas. O cachê do recentemente envolvido com polêmicas, Gusttavo Lima, será de R$ 704 mil. As informações são do Jornal Estado de São Paulo.

A prefeita da cidade, Maria Baitinga de Santana, conhecida como Rosa, já disse que o sonho dela é conhecer o cantor sertanejo. “Gente, eu sempre tive um sonho, gosto demais, e vamos para a Festa da Banana de 2022 com o nosso embaixador… Gusttavo Lima, minha gente, com a fé em Deus”, disse ao anunciar a contratação, em junho do ano passado, em uma transmissão nas redes.

O evento, bancado pela prefeitura, ainda dará R$ 80 mil para Marcinho Sensação e R$ 170 mil para Unha Pintada. A festa ainda conta com dinheiro de patrocinadores. De acordo com o Estadão, para o valor de R$ 1,2 milhão, é como se cada um dos 15 mil moradores da cidade gastasse R$ 80,28 só com os artistas.

A cidade ainda sofre os efeitos das enchentes que atingiram a região do sul da Bahia no fim do ano passado. O valor destinado ao cachê é maior do que o voltado para conter os danos das chuvas. A prefeitura ainda banca mais de 900 caixas de fogos de artifícios, a montagem dos palcos e a infraestrutura para o evento.

A festa acontece entre 4 e 13 de junho deste ano, e o sonho da prefeita se realiza no dia 5, quando Gusttavo Lima cantará.

Procurada pela reportagem do Estadão, Rosa Baitinga explicou o motivo da escolha: “Porque gosta, o pessoal daqui gosta muito dele”, disse a prefeitura. A gestora não respondeu se os recursos são próprios ou de fontes como transferência federal ou emenda parlamentar, apenas declarou que a festa tem “vários patrocinadores” e negou irregularidades, afirmando que não falta dinheiro para resolver os problemas causados pelas chuvas.

Polêmica

A contratação do cantor Gusttavo Lima pela Prefeitura de São Luiz, município do Sul de Roraima, pelo valor de R$ 800 mil causou grande repercussão nas redes sociais nesta semana. A cidade tem apenas 8232 habitantes, de acordo com o IBGE, e o segundo menor Produto Interno Bruto de todo o estado de Roraima.

É como se cada habitante desse R$ 100 pelo show. O Ministério Público de Roraima, então, iniciou uma investigação sobre a contratação para saber de onde saíram os recursos para custear o evento e se haverá algum retorno para o município.

O valor do cachê de Gusttavo Lima neste pequeno município só veio à tona porque, nas últimas semanas, os custos que cantores sertanejos causam aos cofres públicos de pequenas cidades se transformaram numa tendência nas redes sociais.

Tudo começou porque Zé Neto, da dupla Zé Neto e Cristiano, usou usou de um show em Sorriso, no interior do Matro Grosso, para criticar Anitta. Em vídeo que circulou nas redes sociais, o cantor ironiza a tatuagem íntima de Anitta e ressalta que “não depende” da Lei Rouanet. “O nosso cachê quem paga é o povo”, disparou.

Com a repercussão do caso, o jornalista Demétrio Vecchioli trouxe à tona o quanto a dupla sertaneja recebe de prefeituras em shows, sem licitação. Na própria cidade de Sorriso, no Mato Grosso, a dupla recebeu R$ 400 mil. Já em Itabaiana, São Paulo, Zé Neto e Cristiano receberam R$ 250 mil. Somando, o valor totaliza aproximadamente R$ 3 milhões.

Após tantas críticas, o próprio Zé Neto pediu desculpas à Anitta. A devassa em diários oficiais de pequenos municípios, que já chegaram a Gusttavo Lima, podem continuar. Fonte: Jornal Correio

Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Ler mais